quarta-feira, 29 de abril de 2009

29 de Abril de 2009

Confesso que hoje é um dia especial para mim.. é como que o terminar de uma época na minha vida que em bom pensamento marxista diria que foi um plano quinquenal concluído com sucesso na curta, longa caminhada que é a vida temporal.
E nesta hora que chega à hora de ver terminada a hora de conduzir este sonho tornado realidade deixo-vos aqui como tudo começou.. e no início era a delegação regional da Associação de Professores de Geografia..


Junho de 2004


Passámos a grande ilha da Madeira,
Que do muito arvoredo assi se chama;
Das que nós povoamos a primeira,
Mais celebre por nome, que por fama;
Mas nem por ser do mundo a derradeira,
Se lhe avantajam quantas Vénus ama;
Antes, sendo esta sua, se esquecera
De Cypro, Gnido, Paphos e Cythera.”
In Lusíadas


Estrutura Regional do Secretariado

“... porque não estabelecer uma necessária “intimidade” entre os saberes curriculares e a experiência social que eles têm como indivíduos”
Paulo Freire

Assembleia-geral:

Presidente:
Maria Filomena Alves Velho Soares (Escola Secundária Jaime Moniz) número 1174
Secretários
Marco Barbosa Teles (Escola Básica e Secundária de Machico) número 937
João Daniel Gomes Luís (Escola Básica e Secundária da Torre) número 838

Conselho fiscal:
Presidente
Maria Hiolanda da Silva Vieira (E. B. e S. Ângelo Augusto da Silva) número 1172
Secretários
Maria Inês Mendonça Andrade (Escola Básica e Secundária de Santana) número 1175
Edgar Valter Castro Correia (Escola Básica e Secundária do Porto Moniz) número 1177

Direcção:
Presidente:

Joaquim José Sousa (Escola Básica do Porto da Cruz) número 1167
Vice-Presidente
José Ilídio Sousa (E. B. e S. Ângelo Augusto da Silva) número 1178
Vogais
Ana Luísa Cunha Rodrigues (Escola Básica e Secundária de Santa Cruz) número 1166
Hélder Joaquim Ferreira de Sousa (Escola Básica do Porto da Cruz) número 1169
Sara Cristina Caldeira Martins dos Santos (E. B. D. Lucinda de Andrade ) número 1180
Sérgio Paulo Alves Carvalho (Escola Básica e Secundária de Machico) número 1168
Tesoureiro
José Arlindo Aguiar Gouveia (Escola Básica e Secundária de Santa Cruz) número 1163


Áreas de Intervenção/Actividades


“A Educação Geográfica contribui para (...) que os indivíduos tenham consciência do impacto do seu próprio comportamento e do das sociedades onde vivem”.


Relações Institucionais
Coordenador: Joaquim Sousa


A Nível Regional


Secretaria Regional da Educação – Trabalhar em conjunto com a Secretaria Regional de Educação para a implementação da Geografia como disciplina geradora de princípios básicos de cidadania;
Defesa da habilitação própria dos docentes de Geografia para a docência da disciplina de História e Geografia de Portugal;
Elaboração do manual de Geografia da Madeira, enquanto complemento do processo de ensino aprendizagem;
Integração da Geografia nos projectos de desenvolvimento educativo;
Desenvolvimento de todos os protocolos que visem uma melhoria e um aprofundamento da Educação Geográfica em geral e da que diz respeito à Região Autónoma da Madeira, em particular.


A Nível Regional/ Nacional/Internacional

Congressos e Seminários – propõe-se a delegação da Madeira dar visibilidade à actividade dos professores de Geografia, assim como à importância que os mesmos podem ter para o desenvolvimento da região, através da realização de um congresso anual e de outras actividades, das quais destacamos as seguintes:

- Julho de 2004 – “Repensar a Madeira no contexto das Regiões Ultra-periféricas da União Europeia” – integrada no âmbito da Madeira Região Europeia de 2004;

- 2005 – Organização de Congressos – para o qual nos propomos fazer parcerias cientificas e logísticas com diversas entidades, nomeadamente Universidades e Departamentos do Governo Regional

- 2006 - Organização do XX Encontro Nacional de Professores de Geografia;

- Relações com organizações internacionais que possam contribuir para a valorização da educação geográfica.


- Regionalização do currículo de Geografia.


Formação Contínua
Coordenadora: Bernardete Gonçalves


Formação – pelo menos quatro acções por ano;
· As novas tecnologias e o ensino da Geografia;
· A educação Geográfica como factor de Cidadania;
· Geografia – da investigação aplicada à sala de aula;
· Expressão Dramática – práticas de intervenção/animação no quotidiano da Escola;
· Formação dos docentes de Geografia ao nível da Geografia Regional;

- A formação contínua terá, sempre que o solicitar, o apoio do Centro de Formação Professor Orlando Ribeiro, nas modalidades que vierem a ser definidas caso a caso.

- Ligação às Escolas – Pretende a delegação apoiar os docentes de Geografia em todas as suas actividades, na sua integração no meio, na actividade lectiva através de uma base de recursos que os docentes poderão utilizar.


Centro de Recursos
Coordenador: José Ilídio Sousa

Multimédia – Grupo de trabalho que pretende estimular a ligação em rede de todos os docentes de modo a possibilitar um real intercâmbio de informação
· Criação de um grupo de trabalho para, em conjunto com os órgãos nacionais da APG, produzir e fazer a manutenção da página do Secretariado e da Delegação Regional da Madeira;
· Divulgação na Internet do trabalho desenvolvido pelos professores;
· Ligar a página desenvolvida pelo Secretariado Regional da Madeira à página da Associação de Professores de Geografia;
· Criação e manutenção de uma base de dados de e-mails, de modo a possibilitar a troca de experiências e práticas didácticas;

- Mediateca – A delegação na Madeira da A.P.G. propõe-se organizar na sua sede uma biblioteca temática com o apoio de instituições públicas e privadas.

- Promover protocolos com editoras, entidade públicas e privadas de modo a podermos sem despesa criar um espólio bibliográfico.


Publicações
Coordenador: Sérgio Carvalho


- Boletim “ Geo-madeira ”– A delegação propõe-se divulgar as actividades desenvolvidas pelos professores de Geografia em toda a região, assim como as actividades desenvolvidas pela Associação e pela delegação da Madeira.

- Arquivo – A delegação pretende fazer a recolha de todas as informações/ notícias de carácter geográfico na imprensa escrita, na T.V. e na Rádio, regional e nacional.

· Associações de Professores e Sindicatos - Pretende a delegação da Madeira da A.P.G. estabelecer com todas as associações de professores e instituições sindicais relações de partilha de informação, sempre no âmbito pedagógico-didáctico.

Educação Ambiental
Coordenador: Sara Santos


A humanidade vive um momento de viragem decisiva na sua história. Pela primeira vez, é legitimo falar num futuro comum a todas as mulheres e homens. Hoje, ao contrário do que sempre ocorreu nas épocas históricas anteriores, as transformações técnicas, científicas, políticas e económicas não demoram milénios ou séculos a manifestar-se à escala global. As grandes mutações do nosso tempo tornam-se planetárias, nas suas consequências positivas e negativas, quase em tempo real.
Esta é uma época de vertiginosa e acelerada transição. Uma mudança atravessada, todavia, pela presença de forças e tendências fortemente contraditórias.
Nunca o conhecimento atingiu horizontes tão vastos, contudo, jamais foram tão penosos os obstáculos para gerir com sabedoria e equidade as suas aplicações técnico-práticas.
Neste contexto esta associação procurará ser o elo de ligação entre a preservação e a protecção do meio ambiente.

- Secretaria Regional do Ambiente. Se um dos pressupostos do ensino da Geografia é o desenvolvimento de competências ambientais, e se a Secretaria Regional do Ambiente tem por objectivo a defesa e preservação do ambiente, propõe-se o Secretariado da Delegação R.M., trabalhar conjuntamente com esta SRA em projectos de sensibilização e protecção do ambiente.

- Associações de defesa do ambiente – Pretende a Delegação Madeira da A.P.G. estabelecer protocolos com ONGA’s, de modo que o trabalho de uns e a função dos outros se tornem realmente complementares, em continuidade com o trabalho já desenvolvido a nível nacional, pela APG.

- Projectos de inovação ambiental – a escola tem de ser um espaço moderno e activo, nesse sentido procurará esta delegação participar (e proporcionar informação a todos os grupos disciplinares) em todos os projectos regionais, nacionais e internacionais de educação ambiental.


Educação para o Ordenamento do Território
Coordenador: Ana Luísa Carvalho


O ordenamento do território é uma das preocupações fundamentais da sociedade em que vivemos, pois constitui um elo importante para a qualidade de vida dos cidadãos. A Geografia tem aqui um papel de primazia no sentido de educar as novas gerações para um correcto olhar sobre o território e o seu ordenamento. Neste contexto esta Delegação diligenciará várias acções, nomeadamente junto das seguintes instituições:


- Câmaras Municipais no sentido dos geógrafos participarem em grupos de trabalho, seja ao nível do plano sócio ambiental. Esta interacção permite ao Geógrafo desenvolver-se enquanto profissional pois está a diversificar a sua área de actuação e ao mesmo tempo está valorizar a formação e o papel da Geografia na sociedade.


Valorização Sócio-Educativa da Geografia
Coordenador: Hélder Sousa

- Projectos e concursos – ligação e cooperação entre professores, intra e inter-escolas, nomeadamente através da promoção de actividades de diferentes tipos, que permitam a partilha e o aprofundamento de aspectos lúdico-didácticos valorizadores do papel formativo da educação geográfica.

· Organização de passeios pedestres pelas levadas da Madeira.

· Concurso de Fotografia – “Madeira uma terra de mil lugares” para alunos de Geografia;

· Organização em conjunto com a APG nacional da quinzena da Geografia;

· Concurso Regional de Geografia – com o apoio da Secretaria de Educação e da RTP- Madeira; - para os alunos de Geografia da Região;

· Taça da Madeira de Futsal – com a supervisão da Associação de Futebol da Madeira – e aberto a todos os professores a leccionarem nas escolas da Região

· Gala anual da Geografia - com a apresentação pública de trabalhos realizados pelos alunos de todas as escolas da região, assim como a atribuição dos prémios de mérito


Prioridades

“... porque não estabelecer uma necessária “intimidade” entre os saberes curriculares e a experiência social que eles têm como indivíduos” Paulo Freire


Estabelecem-se as seguintes metas para os próximos cinco anos:
· Instalação física da Delegação da A.P.G., e do centro de formação Prof. Jorge Gaspar;
· Estabelecimento de protocolos com instituições públicas e privadas no sentido de articular a Delegação, as escolas e a comunidade;
· Promoção de estratégias que permitam a formação integral do aluno com sucesso;
· Participação em todas as actividades que tornem a Escola um lugar privilegiado de estudo e de reflexão onde o trabalho em equipa e a interdisciplinaridade seja uma realidade;
· Participar activamente em consultas públicas relacionadas com a gestão e ordenamento do território;



e assim foi até 29 de Novembro de 2004..dia que conjuntamente com o Zé Ilídio e o marco Melo decidimos avançar para a AIG

Ontem como hoje padecemos do mesmo mal e deviamos seguir a mesma sugestão..


terça-feira, 28 de abril de 2009

e pensar??? não..


Quando a última árvore tiver tombado,


Quando o último rio tiver secado,


Quando o último peixe for pescado,


Vamos entender que o dinheiro não é comestivel.


(Greenpeace)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

pelo sul do grande Alentejo em Abril de 2009

"el peregrino" em Aljezur

Aljezur é uma graciosa vila portuguesa situada entre o grande Alentejo (berço de Portugal e de portugueses celebres) pertencente ao sub-distrito alentejano de Faro, com cerca de 2700 habitantes.
É sede de um município com 323,65 km² de área e 5 349 habitantes (2006), estando subdividido em 4 freguesias. O município é limitado a norte pelo município alentejano de Odemira, a leste pelos algarvios Monchique, a sueste por Lagos e a sudoeste por Vila do Bispo e a oeste tem uma extensa costa atlântica. A costa litoral do município faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

sábado, 11 de abril de 2009

hoje fui ao estádio..

e senti-me defraudado, diria mesmo roubado, pois vi um jogo decidido pelo arbitro, não tinha gostado do estrela - Benfica e por isso mesmo fui à catedral ver o Glorioso jogar bem, falhar bastante e ver uma criatura sem nível para apitar nos regionais adulterar o resultado de um jogo :(..
Quere-me parecer que o futebol tal qual o resto da sociedade padece da impunidade nacional, em que não interessa saber ou fazer bem, mas antes conhecer as pessoas certas..

quinta-feira, 9 de abril de 2009

23 de Março de 2008 A decisão está confirmada


Associação Insular de Geografia

Nesta hora em que termina o mandato para o qual fui eleito à quatro anos e no respeito pela coerência de rotatividade que sempre defendi para a nossa instituição, venho por este meio e enquanto presidente em exercício comunicar a todos os sócios e amigos que não serei candidato a um novo mandato.
Na hora da despedida e com a consciência que à medida que se foi tornando parte integrante da vida dos Geógrafos, a Associação Insular de Geografia consolidou-se, nos hábitos de professores e técnicos, com as conferências, seminários, galas, publicação de trabalhos, revista, formação, onde ciência, conhecimento, cultura, sociedade e inovação se conjugam para fazer da geografia uma ciência nobre no universo das ciências.

Considerando que o projecto de oito anos com que convosco me comprometi à quatro está cumprido, decidi em plena consciência não ser candidato a um novo mandato. Podemos dizer que muito mais à a fazer, sem dúvida e é por sentir que temos entre nós colegas que poderão nesta nova fase ter um papel muito mais importante que o meu neste novo ciclo que tomei em consciência a decisão de não ser candidato a novo mandato como presidente da Associação Insular de Geografia. Queria nesta hora que medeia a entrega de listas que ocorreu até 27 de Março e a data das eleições 30 de Abril prestar a minha sentida homenagem a todos aqueles que neste mandato respiraram e suaram por esta nossa camisola:

Assembleia Geral:

Presidente Gilda Dantas
Vice-Presidente Bernardete Pestana
Vogal Luísa Góis

Concelho Fiscal:

Presidente Sérgio Carvalho
Vice-presidente Duarte Silva
Vogal Margarida Gomes

Assembleia de Representantes

Presidente Victor Gomes
Vice-Presidente Valter Correia
Vice-Presidente Inês Mendonça

Direcção:

Presidente Joaquim José Sousa
Vice-Presidente João Daniel
Vice-Presidente Ilídio Sousa
Secretário-Geral Marco Teles
Director Financeiro Marco Melo

Na certeza que continuaremos na senda da inovação e da qualificação da nossa nobre ciência peço também a todos os colegas que no próximo dia 30 de Abril façam o esforço para sufragarem a nova direcção que será liderada pela Mestre Gilda Dantas (Direcção) pelo Dr. João Daniel (Assembleia Geral), pelo Dr. Sérgio Carvalho (Concelho Fiscal) e pelo Mestre Victor Gomes (Assembleia de representantes)..

Com gratidão e profunda amizade agradeço a todos os amigos que nestes dias me contactaram para repensar a decisão tomada, agradeço, com especial relevo as múltiplas conversa que mantive com a Professora Gilda Dantas que várias vezes me procurou dissuadir da decisão tomada..

que sociedade queremos??


Que mundo estamos a construir para passar às próximas gerações e será que o mesmo é passível de ser recordado com admiração e respeito???


Tenho muitas dúvidas.

Parece-me que estamos no final duma era, numa era de desregulação, não só da economia mas também dos valores, preocupa-me que sobre o que poderei dizer a meus netos no ocaso de minha vida, como irei classificar este nosso mundo sem alma ou sentido.

Recordo com saudade os livros e ensinamentos de minha infância, onde não tinha a panóplia tecnológica que hoje nos absorve, aproxima de mundos distantes (leia-se outros povos, países e continentes) mas que inevitavelmente nos deixa reféns dos meios tecnológicos e nos afasta de todos os que nos rodeiam, temos e estabelecemos amizade com pessoas distantes que muitas vezes nunca iremos conhecer, mas não temos oportunidade de conhecer aquelas pessoas que encontrávamos na mercearia, na padeiria , a quem dizíamos bom dia e tratávamos pelo nome.

Que aprendemos hoje e com quem?

Ganhamos dinheiro, perdemos tempo para a família, para os amigos, não vemos ver os filhos crescer e admiramo-nos que estes não se revejam em nós, ou sequer não tenham os nossos valores e princípios.

Sou filho dum homem para quem a sua palavra era lei, coscuvilhice coisa de quem não tinha tacto ou trambelho, convicções - forma de carácter, ambição - projecto de família, dedicação - a tudo o que se faz, ao trabalho, à família e aos amigos, que assumia com frantalidade o que fazia de bom ou de mau, que não era homem de criar casos ou meter veneno, que ouvia os amigos sem necessidade de repetir desabafos ou pensamentos..

É este o mundo que me norteou, um mundo que não existe mais, que cresceu, floresceu e que vai terminar quando o último daquela geração de gente simples proveniente do mundo rural já cá não estiver.

Que temos nós hoje para dar a nossos filhos?

Que o trabalho não compensa, mas um emprego de chefia sim, que a palavra vale enquanto nos interessar, que a coscuvilhice desde que nós dê alguma vantagem é boa, que as confidencias dos amigos são armas de arremeço contra os mesmos, que a ambição é enriquecer depressa ainda que por caminhos tortuosos e o amigo é aquele que nos é útil num dado momento..

Que pessimista dirão alguns?

Recordo uma celebre frase de Albert Einstein "O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer" e nesta hora digo e afirmo, tenho a minha profissão consolidada, sou professor, tenho o privilégio de trabalhar com os mais jovens, com o nosso futuro enquanto sociedade.

Vivi e dei aulas na cidade e no campo, no sul, no norte, nos Açores e na Madeira, conheço o meu país, digo mais eu amo o meu país, jurei a nossa bandeira, sinto na mesma e no nosso hino a herança dum povo de bravos e valentes homens e mulheres.

Um povo dum país pequeno e amargurado, que tem vergonha da sua história grandiosa, que por vezes não dignifica os seus heróis, mas enaltece pseudo estrelas conduzindo-as ao Olimpo, uma comunidade em que o saber é preterido em relação ao muito nacional xico-espertismo.

Pois eu digo que admiro a força da palavra de Egas Moniz, a coragem de Martim Moniz, a audácia de Afonso Henriques, a visão do Infante Dom Henrique e de Dom João II, o Humanismo de Aristides de Sousa Mendes, a convicção de Salgueiro Maia que fez a revolução e entregou o poder ao povo sem querer honrarias ou mais proveitos e o heroísmo daqueles que caírem em combate pela nobre bandeira. Com a mesma força com que abomino traidores como o conde andeiro ou aqueles que traíram a pátria aquando da loucura subsequente à abrilada que traiu a pátria e abandonou todos aqueles que nascidos sob a nossa bandeira, lutando pela nossa pátria ficaram abandonados à mercê dos amigos facinoras do poder facinora que se instalou em Portugal, com a mesma força abomino e desprezo aqueles que nos últimos 25 anos roubaram o povo e enriqueceram feito marajás com os dinheiros da União Europeia enquanto estavam como administradores da coisa pública.

Não acredito em Profissão Político - acredito em cidadãos de bem, com profissões tão diversas como professores, advogados, médicos, funcionários diversos, agricultores, etc, etc.. que durante um determinado período de tempo se predispõem a servir a a sua pátria com o seu empenho e saber..


Joaquim Sousa um homem ao serviço da sua pátria e da sua comunidade

"A corrupção é um cancro que mina a nossa democracia e que é suportado duplamente pelos contribuintes que pagam serviços mais caros e de menor qualidade. Desde presidentes de câmara (...) a ex-primeiros ministros com níveis de enriquecimento dignos de mandatários dos petrodólares de Angola, não faltam casos de enriquecimento mal explicados".
Armando Esteves Pereira, "Correio da Manhã", 09-04-2009